sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

QUE VENHA 2011!

       


          Pois é... últimas horas do ano... útima postagem do ano... Há muito tempo que não tenho religião definida. Para mim, a melhor religão é "o bem". Quem faz o bem de coração, recebe o bem, independente dos caminhos que tome. Boas energias atraem coisas boas. Sendo assim, kardecistas, católicos, umbandistas, budistas, evangélicos, etc, etc, que cultivarem coisas boas, terão como resposta do universo coisas boas. É nisso que acredito.


          Estou lendo um livro interessante, chamado "A Cabana", que trata um pouco dessa busca por Deus e da necessidade que temos de crer em coisas maiores do que nós mesmos. Existe algo maior do que a nossa vontade? Existe algo mais forte do que o nosso desejo de acordar todos os dias e enfrentar o que nos reserva o mundo? Que força é esta que nos toca, que nos impele ao desconhecido? Será a simples insistência de continuar existindo, de continuar indo em frente mesmo sem saber exatamente para onde estamos indo? Ou será puramente o instinto de sobrevivência? Um dia vamos morrer... Vamos deixar de existir nesse plano... Mas e o que ficará de nós? Simplesmente desapareceremos? O que será daqueles que não plantaram uma árvore, nem tiveram um filho ou não escreveram um livro? Serão varridos para sempre do universo? Varridos para onde? Para baixo de que tapete? Um buraco negro talvez?


          Bem sei que são reflexões que me encontram e que se despedem de mim do mesmo jeito: sentado numa cadeira giratória. Não somam nem diminuem. São perguntas que não têm respostas e que continuarão na minha mente até os últimos segundos em que meus olhos estiverem abertos. Daí sim, deixarão de ser questionamentos e terei as explicações que tanto busco. Até lá, sigo munido dessas vontades, desse desejo de continuar vivendo e desbravando o que a vida tem a me oferecer. Capítulo por capítulo, feliz e convicto que o melhor da história não é o final... Mas sim, o meio do livro - de um bom livro - , quando olhamos com satisfação para o volume de páginas vencidas (nossa, já li tudo isso!) e quando pensamos nas emoções que as páginas restantes ainda nos reservam...



          Que 2011 seja um bom livro para todos nós... Feliz Ano Novo a todos e a todas!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

ANO DE OXUM!

         
          2011 será regido fundamentalmente por Oxum, a orixá das águas doces! Orixá quer dizer "espírito de luz" e é - segundo a umbanda - o príncipio mais evoluído que existe no nosso sistema, manifestado pelas forças da natureza.

          Na Nigéria, mais precisamente em Ijesá, Ijebu e Osogbó, corre calmamente o rio Oxum, a morada da mais bela Iyabá, a rainha de todas as riquezas, a protectora das crianças, a mãe da doçura e da benevolência.
          Generosa e digna, Oxum é a rainha de todos os rios e cachoeiras. Vaidosa, é a mais importante entre as mulheres da cidade, a Ialodê. É a dona da fecundidade das mulheres, a dona do grande poder feminino.
          Oxum é a deusa mais bela e mais sensual do Candomblé. É a própria vaidade, dengosa e formosa, paciente e bondosa, mãe que amamenta e ama. Um de seus oriquis, visto com mais atenção, revela o zelo de Oxum com seus filhos:
         O primeiro filho de Oxum chama-se Ide, é uma verdadeira jóia, uma argola de cobre que todos os iniciados de Oxum devem colocar nos seus braços.
          Oxum não vê defeitos nos seus filhos, não vê sujidade. Os seus filhos, para ela, são verdadeiras jóias, e ela só consegue ver seu brilho.
          É por isso que Oxum é a mãe das crianças, seres inocentes e sem maldade, zelando por elas desde o ventre até que adquiram a sua independência.
Seus filhos, melhor, as suas jóias, são a sua maior riqueza.

Características dos filhos de Oxum

          Dão muito valor à opinião pública, fazem qualquer coisa para não chocá-la, preferindo contornar as suas diferenças com habilidade e diplomacia. São obstinadas na procura dos seus objectivos.
          Oxum é o arquétipo daqueles que agem com estratégia, que jamais esquecem as suas finalidades; atrás da sua imagem doce esconde-se uma forte determinação e um grande desejo de ascensão social.
          Têm uma certa tendência para engordar, a imagem do gordinho risonho e bem-humorado combina com eles. Gostam de festas, vida social e de outros prazeres que a vida lhes possa oferecer. Tendem a uma vida sexual intensa, mas com muita discrição, pois detestam escândalos.
          Não se desesperam por paixões impossíveis, por mais que gostem de uma pessoa, o seu amor-próprio é muito maior. Eles são narcisistas demais para gostar muito de alguém.
          Graça, vaidade, elegância, uma certa preguiça, charme e beleza definem os filhos de Oxum, que gostam de jóias, perfumes, roupas vistosas e de tudo que é bom e caro.
          O lado espiritual dos filhos de Oxum é bastante aguçado. Talvez por isso, algumas das maiores Yalorixás da história do Candomblé, tenham sido ou sejam de Oxum.

Dia: Sábado
Cores: Amarelo – Ouro
Símbolo: Leque com espelho (Abebé)
Elemento: Água Doce (Rios, Cachoeiras, Nascentes, Lagoas)
Domínios: Amor, Riqueza, Fecundidade, Gestação e Maternidade
Saudação: Eri Yéyé ó!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

A CASA DOS ESPÍRITOS - SUGESTÃO DE LIVRO


Não é livro de terror... É bom avisar logo, visto que pessoas desinformadas podem achar se tratar de um compêndio sobre espiritismo ou algo do tipo "Nosso Lar". É um romance fabuloso que mistura realismo fantástico com a história recente do Chile,

Li este livro há uns cinco anos atrás, motivado pelo filme. Nunca tinha lido nada da Isabel Allende, e a partir daí tornei-me fã do estilo desta grande escritora chilena (ainda que nascida em Lima). "A casa dos espíritos" narra a saga de uma família, os Trueba e é um divisor de águas na literatura hispânica do século vinte, visto que nunca uma mulher tinha tido um sucesso editorial tão grande.

O romance inspirou o filme (rodado em 1993), que tem no elenco Antonio Bandeiras, Winona Ryder, Meryl Streep, Jeremy Irons e Glenn Close.



quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

DO DIÁRIO DA ALINE - "VISTA ESTA IDEIA"

         
          Conversando com a minha amiga Aline, que é usuária de cadeira de rodas e também minha parceira e do Stevão no "Grupo Propulsão", tive a ideia de sugerir que ela passasse a contar algumas das suas experiências.
          Por incrível que pareça, poucas vezes nos damos por conta de como a sociedade reage frente as diferenças no que se refere a acessibilidade, inclusão, etc. Por isso, resolvi abrir este espaço no "Centauro Alado" para que a Aline pudesse compartilhar conosco suas vivências. Obrigado, Aline!!!

VISTA ESTA IDEIA por Aline Massoni

“Fazia muito tempo que toda vez que eu ia ao  shopping passava em frente a uma loja e via uns vestidos de malhas, bonitos e confortáveis e fáceis de vestir, requisitos que não são nada fáceis encontrar todos reunidos em uma só peça de roupa.
Mas, eu estava com receio de entrar na loja, visto que teria que experimentar os vestidos e que isso não era tão simples para quem é usuário de cadeira de rodas. Naquele dia 23 de novembro tomei coragem, respirei fundo e entrei na loja. Logo veio uma vendedora perguntando-me no que poderia me ajudar. Expliquei que queria comprar um vestido e como ele teria que ser, e a vendedora passou a separar algumas peças.
- Qual deles você quer? – perguntou-me a moça.
- Ainda não sei, gostaria de experimentá-los...
Naquele instante, fiquei com medo do que a vendedora iria dizer. Sorrindo, ela explicou:
- Não sei se a tua cadeira de rodas vai caber no provador, mas podemos tentar.
Pensei com os meus botões – se a cadeira não passar no provador, não vou levar o vestido...
A vendedora foi me encaminhando até o local e chegando lá, vimos que o provador era estreito e que  tinha exatamente o espaço pra cadeira de rodas e mais nada.
- Pode passar!- pediu a vendedora.
- É melhor que você entre primeiro, pois vou precisar de ajuda para me vestir!
Nesse momento me deu um frio na barriga. Já fui imaginando que ela poderia me dizer coisas do tipo “ai, me desculpa não posso fazer força” ou, “não sei como fazer”! Mas, para a minha surpresa ela prontamente entrou primeiro no provador e ficou bem no cantinho. Quando eu entrei no provador, nos demos por conta de um pequeno detalhe: o espaço era pequeno e não teria como fecharmos a porta. Ou seja, minha pivacidade seria zero. A vendedora, muito solicita e esforçada em ajudar-me, gritou para as suas colegas:
- Não deixem nenhum homem passar aqui pela frente do provador agora!
Naquele dia, experimentei uns cinco vestidos. Fui orientando a vendedora a como ela poderia me auxiliar e trocamos muitas ideias. Sugeri então que unificassem dois provadores para fazer um só, onde uma cadeira de rodas entraria e ficaria confortavelmente. Simpática, ela respondeu-me:
- Nunca tínhamos pensando nisso... E nunca uma cadeirante havia usado este provador antes... Tu fostes a primeira!
        
       Escolhi o vestido, saí do provador e fui para o caixa pagar. Ao me despedir da vendedora, ela disse:
       - Volte sempre que quiser, pois agora já estou craque em lhe ajudar!!!
       Fui embora feliz da vida com o vestido e me perguntando Por que essa minha compra tinha sido tão diferente das outras? Por que eu estava tão a vontade? Cheguei a conclusão que um pouco foi resultado de como eu reagi em relação a vendedora. Em outras compras eu chegava dizendo: desculpa, mas eu preciso de ajuda pra me vestir! Ou: tu não te importa em me ajudar? E dessa vez não, eu só comuniquei que precisava de ajuda pra me experimentar o vestido.
       Também pensei muito no que ela me disse: que nunca uma cadeirante tinha usado o provador, que eu tina sido a primeira. Sem dúvida,  acho q temos que sair mais pra rua para que as pessoas se dêem por conta das nossas necessidades."

                                                                      Aline Massoni

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

CIDADE BAIXA ACESSÍVEL?


          Estava voltando para casa quando vi na esquina da Av. João Pessoa com a Dr. Sebastião Leão esta sinalização para a rampa da cadeira de rodas. Andei mais um pouco e na próxima esquina da João Pessoa também havia sinalização de rampa. Posso não estar prestando muito a atenção nas calçadas, mas não lembro de ter visto em Porto Alegre outros exemplos assim.

         



          Acho super importante haver sinalizações nesse sentido, primeiro, porque elas auxiliam os cadeirantes, visto que nem todas as calçadas possuem rampa, por incrível que pareça, e segundo, porque visualmente contribui para que os "caminhantes" percebam que aquela rampa que os seus pés passam com tanta facilidade, são de extrema importância para quem tem algum tipo de dificuldade de locomoção. Não sei se isso foi uma iniciativa da prefeitura, mas torço para que ela se espalhe por toda a cidade!

sábado, 18 de dezembro de 2010

CEM LIVROS ESSENCIAIS DA LITERATURA BRASILEIRA






          Quais são os 100 livros fundamentais, essenciais, imperdíveis da literatura brasileira? Que romance, poesia, crônica ou conto você não pode deixar de ler na vida? Dom Casmurro, Brás Cubas, Macunaíma, Sargento de Milícias, Grande Sertão Veredas e outras grandes obras do Brasil. A revista Bravo selecionou os 100 melhores livros dos melhores autores do país. Aqueles clássicos que caem no vestibular com 100% de certeza. Um ranking dos livros mais importantes do Brasil. Veja a lista no final do texto.

          Escritores costumam ser, até por ofício, bons frasistas. É com essa habilidade em manejar palavras, afinal, que constroem suas obras, e é em parte por causa dela que caem no esquecimento ou passam para a história. Uma dessas frases, famosa, é de um dos autores que figuram nesta edição, Monteiro Lobato: "Um país se faz com homens e livros". Quase um século depois, a sentença é incômoda: o que fazer para fazer deste um Brasil melhor? No que lhe cabe, a literatura ainda não deu totalmente as suas respostas.

          Outro grande criador de frases, mais cínico na sua genialidade, é o dramaturgo e escritor Nelson Rodrigues. Dizer que "toda unanimidade é burra" é muito mais que um dito espirituoso: significa mesmo uma postura em relação às coisas do mundo e do homem tão crucial quanto aquela do criador do Sítio do Picapau Amarelo.

          É evidente que o ranking das 100 obras obrigatórias da literatura brasileira não encontrará unanimidade entre os leitores. Alguns discordarão da ordem, outros eliminariam títulos ou acrescentariam outros. E é bom que seja assim, é bom que haja o dissenso: ficamos longe da burrice dos cânones dos velhos compêndios e da tradição mumificada.

          Embora tenha sua inevitável dose de subjetividade, esta a seleção  está longe de ser arbitrária. Os livros que, em seus gêneros (romance, poesia, crônica, dramaturgia) ajudaram a construir a identidade da literatura nacional não foram desprezados (na relação geral e na ordem).

          O resultado é um guia amplo, ao mesmo tempo informativo e útil. Para o leitor dos livros de ontem e hoje, do consagrado e do que pode apontar para o inovador. Não só para a literatura, mas também, como queria Lobato, para os homens e para o país que ainda temos de construir. A seguir, os 100 livros essenciais da literatura brasileira, listados em ordem alfabética de autor. Leia e divirta-se!

Adélia Prado: Bagagem

Aluísio Azevedo: O Cortiço

Álvares de Azevedo: Lira dos Vinte Anos, Noite na Taverna

Antonio Callado: Quarup

Antônio de Alcântara Machado: Brás, Bexiga e Barra Funda

Ariano Suassuna: Romance d'A Pedra do Reino

Augusto de Campos: Viva Vaia

Augusto dos Anjos: Eu

Autran Dourado: Ópera dos Mortos

Basílio da Gama: O Uruguai

Bernando Élis: O Tronco

Bernando Guimarães: A Escrava Isaura



Caio Fernando Abreu: Morangos Mofados

Carlos Drummond de Andrade: A Rosa do Povo, Claro Enigma

Castro Alves: Os Escravos
Espumas Flutuantes

Cecília Meireles: Romanceiro da Inconfidência
Mar Absoluto

Clarice Lispector: A Paixão Segundo G.H.
Laços de Família

Cruz e Souza: Broquéis

Dalton Trevisan: O Vampiro de Curitiba

Dias Gomes: O Pagador de Promessas

Dyonélio Machado: Os Ratos

Erico Verissimo: O Tempo e o Vento

Euclides da Cunha: Os Sertões

Fernando Gabeira: O que é Isso, Companheiro?

Fernando Sabino: O Encontro Marcado

Ferreira Gullar: Poema Sujo

Gonçalves Dias: I-Juca Pirama

Graça Aranha: Canaã

Graciliano Ramos: Vidas Secas, São Bernardo



Gregório de Matos: Obra Poética

Guimarães Rosa: O Grande Sertão: Veredas, Sagarana

Haroldo de Campos: Galáxias

Hilda Hilst: A Obscena Senhora D

Ignágio de Loyola Brandão: Zero

João Antônio: Malagueta, Perus e Bacanaço

João Cabral de Melo Neto: Morte e Vida Severina

João do Rio:A Alma Encantadora das Ruas

João Gilberto Noll: Harmada

João Simões Lopes Neto: Contos Gauchescos

João Ubaldo Ribeiro: Viva o Povo Brasileiro

Joaquim Manuel de Macedo: A Moreninha

Jorge Amado: Gabriela, Cravo e Canela, Terras do Sem Fim

Jorge de Lima: Invenção de Orfeu

José Cândido de Carvalho: O Coronel e o Lobisomen

José de Alencar: O Guarani, Lucíola

José J. Veiga: Os Cavalinhos de Platiplanto

José Lins do Rego: Fogo Morto



Lima Barreto: Triste Fim de Policarpo Quaresma

Lúcio Cardoso: Crônica da Casa Assassinada

Luis Fernando Verissimo: O Analista de Bagé

Luiz Vilela: Tremor de Terra

Lygia Fagundes Telles: As Meninas, Seminário dos Ratos

Machado de Assis: Memórias Póstumas de Brás Cubas, Dom Casmurro

Manuel Antônio de Almeida: Memórias de um Sargento de Milícias

Manuel Bandeira: Libertinagem, Estrela da Manhã

Márcio Souza: Galvez, Imperador do Acre

Mário de Andrade: Macunaíma, Paulicéia Desvairada

Mário Faustino: o Homem e Sua Hora

Mário Quintana: Nova Antologia Poética

Marques Rebelo: A Estrela Sobe

Menotti Del Picchia: Juca Mulato



Monteiro Lobato: O Sítio do Pica-pau Amarelo

Murilo Mendes: As Metamorfoses

Murilo Rubião: O Ex-Mágico

Nelson Rodrigues: Vestido de Noiva, A Vida Como Ela É

Olavo Bilac: Poesias

Osman Lins: Avalovara

Oswald de Andrade: Serafim Ponte Grande, Memórias Sentimentais de João Miramar

Otto Lara Resende: O Braço Direito

Padre Antônio Vieira: Sermões

Paulo Leminski: Catatau

Pedro Nava: Baú de Ossos

Plínio Marcos: Navalha de Carne

Rachel de Queiroz: O Quinze



Raduan Nassar: Lavoura Arcaica, Um Copo de Cólera

Raul Pompéia: O Ateneu

Rubem Braga: 200 Crônicas Escolhidas

Rubem Fonseca: A Coleira do Cão

Sérgio Sant'Anna: A Senhorita Simpson

Stanislaw Ponte Preta: Febeapá

Tomás Antônio Gonzaga: Marília de Dirceu, Cartas Chilenas

Vinícius de Moraes: Nova Antologia Poética

Visconde de Taunay: Inocência


Bah, dos 100 acima indicados, só li 21!!!! Eheheh! Bom domingo a todos e a todas (respeitando o gênero).

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

FREEWAY ACESSÍVEL





          No caminho para Capão, no final de semana passada, chamou-me a atenção este restaurante. Não possuo vínculo algum com o estabelecimento e nem estou ganhando nada em divulgar isso aqui no blog, mas, achei legal o fato de - ao contrário de muitos lugares aqui de Porto Alegre- possuir um banheiro adaptado para cadeirantes. Sempre é válido elogiar boas iniciativas.





Sempre é válido elogiar boas iniciativas.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

PREVENÇÃO: ACIDENTES DE MERGULHO DEIXAM JOVENS TETRAPLÉGICOS



         
          Os números de acidentes de mergulho em Portugal não são muito expressivos. Porém, as consequências são devastadoras. As vítimas, maioritamente jovens, ficam tetraplégicas e confinadas a uma cadeira de rodas para o resto da vida.
          Não existem estatísticas sobre esta problemática. O Jornal de Notícias de Portugal apurou, junto dos centros de Medicina de Reabilitação do Centro, Alcoitão e Sul que, nos últimos dois anos, cerca de 20 pessoas foram internadas com lesões medulares provocadas por acidentes dentro de água.
          “Habitualmente, os acidentes de mergulhos fraturam a coluna cervical, entre as 5.ª e 6.ª vértebras cervicais e resultam em lesão completa. Isto significa que deixa de haver condução do impulso nervoso entre o cérebro, que é o centro de comando, e as estruturas abaixo da lesão medular, como os quatro membros, a bexiga e o intestino”, explica Paulo Margalho, fisiatra e director do Serviço de Lesões Medulares do Centro de Medicina de Reabilitação do Centro (Hospital Rovisco Pais). Como consequência, o acidentado fica paralisado do pescoço para baixo.
          Em Portugal, à semelhança da casuística descrita a nível internacional, os envolvidos neste tipo de acidentes são quase sempre jovens do sexo masculino com idades entre os 15 e os 30 anos. Esta é a população mais propensa a comportamentos de risco, como atirar-se, de cabeça, para a água sem saber qual a profundidade.
          Justifica-se, portanto, uma campanha de sensibilização tendo como população-alvo aquela faixa etária. Em Cantanhede,  no Hospital Rovisco Pais, estão programadas ações de informação em escolas básicas dos 2.º e 3.º ciclos com o tema: “Mergulhar: o perigo pode estar para além do visível”.
         O objetivo, segundo a assistente social Idalina Melo, é não só alertar os adolescentes para os perigos de mergulhar em locais desconhecidos ou de pouca profundidade mas, também, para a necessidade de valorizar a pessoa com deficiência.
          Um dos aspectos mais dramáticos deste tipo de acidentes é a irreversibilidade das lesões. Por todo o Mundo, estão em curso muitos projectos de investigação clínica, alguns muito promissores, como os que envolvem transplante de células pluripotentes, mas, “à luz dos conhecimentos atuais, não há reparação possível”, sublinha Paulo Margalho.
          Isso não significa que não há nada a fazer. Bem pelo contrário. O processo de reabilitação, que pode passar pela aprendizagem de uma profissão, é fundamental para uma adaptação adequada às novas condições de vida.
Fonte: Jornal de Notícias de Portugal

         
          No Brasil, uma pesquisa desenvolvida pelo Hospital das Clínicas revela que a cada semana dez pessoas ficam paraplégicas ou tetraplégicas, ao bater a cabeça durante o mergulho, que na sua maioria são jovens (90%), entre 10 e 25 anos. O mergulho é responsável por 10% dos 8.000 casos de fratura na coluna, que ocorrem anualmente no Brasil. Perde apenas para acidentes de trânsito, perfuração à bala e quedas em geral. E dessas 800 pessoas que sofrem acidentes durante o mergulho, 533 ficam paraplégicas ou tetraplégicas. Durante o verão o mergulho passa a ser a segunda causa de lesão na medula, perdendo apenas para os acidentes de carro. Os acidentes (77%) acontecem em sua maioria em ambientes naturais, como piscinas, rios, etc. Geralmente ocorrem nos fins de semana, 76% em situações de lazer.


Como ocorre o acidente:

1º A pessoa mergulha em uma local sem conhecer a profundidade.
2º Ao mergulhar com o corpo curvado em local raso, bate a cabeça no solo.
3º Após o impacto com o solo, o pescoço recebe o peso do corpo, absorvendo o impacto e produzindo uma brusca flexão do pescoço podendo ocasionar uma fratura ou deslocamento de vértebra cervical, (geralmente a C5 ou a C6), que pode resultar em trauma da medula espinhal.
4º As vértebras ao se quebrarem comprimem a medula responsável pela transmissão das ordens vindas do cérebro para todas as regiões do corpo humano.
5º A compressão da medula causa uma necrose (morte dos tecidos e células da região atingida), o que impede a transmissão dos estímulos vindo do cérebro e também da sensibilidade dos membros.
6º A pessoa fica paralisada e não sente seus membros. De acordo com o grau da lesão da medula, o mergulhador pode ficar tetraplégico, (sem movimentação nos braços e nas pernas) ou paraplégico, paralisado apenas nas pernas (Psychic 2003).

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

CENTAURO ALADO - O NOME

         


          Quando divulgo o blog algumas pessoas perguntam o porquê dele se chamar “Centauro Alado”, visto que este nome não tem nenhuma ligação direta com as questões que nele são constantemente abordadas, como acessibilidade, inclusão social, direito das pessoas com deficiência, etc. Na verdade, sendo um pouco mais didático, o nome “Centauro Alado” partiu de uma ideia que tive em resumir questões variadas numa única marca. A figura do centauro, por si só, já nos reporta a junção de dois poderosos ícones: a imponência e força do cavalo com a sabedoria de uma mente pensante. Ou ainda, se quisermos pensar por outro aspecto, teremos a segurança dos pés fincados no chão unida a aos olhos que estão voltados para as estrelas (o grande sonhador).
          Na mitologia grega, a figura do centauro é particularmente associada a Quíron, um centauro célebre pelos seus conhecimentos e habilidades com a medicina, terapias curativas, artes, música e poesia.  
          Alado é aquele que possui asas, e que sendo assim, pode voar. Quem voa, não encontra barreiras físicas e nem obstáculos para ir e vir... Mesmo sem pernas que se movimentem ou que caminhem, quem voa é livre para ir de um lado a outro e para ver tudo sob outra perspectiva. Pensando nisso tudo,  a ideia do nome do blog é esta: denominar um  canal para informação e discussão de temas pertinentes a atualidade.

domingo, 12 de dezembro de 2010

ESCADA IMPEDE QUE CONVIDADA CADEIRANTE VÁ À MESA DO SENADO

DESRESPEITO E DESCASO!
Convidada para a abertura da 6ª Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência no Senado, a secretária de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência se viu impossibilitada de ter acesso à mesa da Casa.


          Alguns degraus tornavam o local inacessível para Izabel Loureiro Maior, cadeirante e principal autoridade federal para o segmento. Ela integra a Secretaria Especial dos Direitos Humanos, ligada à Presidência. Pela praxe, quem não está na mesa não é citado nos discursos dos congressistas, disse ela à Folha. "Não ser citada mostra a barreira."

          "Infelizmente, hoje nós ainda não poderemos contar com sua presença aqui ao nosso lado, mas sinta-se como se aqui estivesse", disse Heráclito Fortes (DEM-PI), que presidia a abertura do evento, cujo slogan é "Acessibilidade está na moda".

          Fortes também pediu desculpas pelo fato de o elevador que dá acesso às galerias, de onde o público acompanha as sessões, estar quebrado. É só por meio dele que um cadeirante chega ao setor.

         Reportagem publicada pela Folha em novembro mostrou a falta de estrutura dos órgãos públicos federais com relação à acessibilidade.

         À época, a responsável pelo programa Senado Inclusivo e chefe do cerimonial, Mônica Freitas, afirmou que o plenário era acessível por meio de uma rampa móvel.

          Questionada ontem, disse que a rampa não existe mais. Segundo ela, uma reforma para dar acesso ao plenário está prevista para julho.

Fonte: Folha de S. Paulo

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

LIBRAS NO AEROPORTO

          Desde o último dia 16/07 a Infraero passou a disponibilizar no Aeroporto Internacional do Galeão, na cidade maravilhosa do Rio de Janeiro, um vídeo informativo em Libras, a Língua Brasileira de Sinais. O material foi produzido pela empresa Mídia Bacana e é veiculado 24 horas por dia, a cada 30 minutos em 13 monitores espalhados pelos Terminais de Passageiros 1 e 2. 




          A mensagem contém orientações sobre onde o usuário pode buscar informações e traz ainda legendas em português e inglês. Segundo o superintendente do Aeroporto, André Luis Marques de Barros, esta medida é uma oportunidade do Tom Jobim oferecer um tratamento diferenciado aos seus usuários. “Com esse vídeo pioneiro auxiliamos aquele público com deficiência auditiva a localizar no aeroporto os diferentes pontos onde podem encontrar orientações”, destacou o superintendente.


quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

BESOURO - SUGESTÃO DE FILME






        Isso aí! Vou começar a postar também sugestões de filmes que acho muito legais! O primeiro é "Besouro", filme nacional que conta a história de um capoeirista que com o seu corpo fechado e com a ajuda das forças da natureza (orixás) luta para proteger o seu povo. Além de resgatar um pouco da cultura popular e da história da capoeira, o filme conta com ótimos efeitos especiais (mesma equipe de "O Tigre e o Dragão").



         "Besouro" foi inspirado no livro "Feijoada no Paraíso", do escritor carioca Marco Carvalho, que conta lendas e histórias do Besouro Mangangá, o maior capoeirista de todos os tempos.

domingo, 5 de dezembro de 2010

CIDREIRA -RS - ESPORTE, RECREAÇÃO E LAZER PARA TODOS - PREVENÇÃO DAS DEFICIÊNCIAS


   Dia 26 de novembro  a Cláudia, o Nichi e eu ministramos a convite da FADERS a sala temática “Esporte, Recreação e Lazer para todos” e “Prevenção de Deficiências”.






video

A galera experimentando dificuldades de um futebol um pouco diferente...
         



video

Aqui, a dança inclusiva das cadeiras...


          Foi um dia inteiro de informações sobre recreação, inclusão e esportes para pessoas com deficiência física, além da discussão de como se prevenir a as deficiências.



Valeu, pessoal de Cidreira! Abraço a todos que participaram!

CADEIRA DE RODAS ADAPTADA PERMITE MARCHA

          O israelense Radi Kaiuf, que se machucou durante o serviço militar e ficou com parte do corpo paralisada, usa um dispositivo conhecido como "ReWalk", que auxilia pacientes a se locomover. O aparelho foi desenvolvido em 1997, após seu criador, Amit Goffer, sofrer acidente de carro. (Foto: Oded Balilty / AP Photo)


         













           As "pernas" robóticas utilizam sensores e motores para permitir ao usuário ficar de pé, andar e até subir escadas. Após as fases de testes clínicos realizados nos Estados Unidos e em Israel, a tecnologia agora estará à venda para centros médicos em todo o mundo a partir de janeiro de 2011.


FONTE: G1-CIÊNCIA E SAÚDE

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

CALENDÁRIO - GRUPO DE CADEIRANTES UNIFRA



          Achei legal esta iniciativa que vem lá de Santa Maria, minha terra natal, e por isso, resolvi postar no blog:
          "No mês de maio de 2010, iniciou-se um grupo com os cadeirantes usuários dos Laboratórios de Práticas em Saúde do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, os quais estão expostos a uma invisibilidade social e indiferença do poder público. Isso exige medidas capazes de promover mudanças e resgatar a autonomia dos cadeirantes. Uma das ações realizada pelo grupo, foi a produção de um CALENDÁRIO de 2011, com fotos dos cadeirantes que participam do grupo. Com a produção do calendário, tem-se o objetivo principal de dar VISIBILIDADE aos cadeirantes perante a sociedade e assim buscar superar a imagem estereotipada do segmento. Foram produzidos 800 calendários e são comercializados com o valor de R$ 5,00 cada. Estamos com dificuldade de vender todos até o final do ano, então venho por meio deste recado oferecer os calendários para venda. A colaboração de todos é de suma importância para o sucesso do projeto. Entendo tais atos como a verdadeira responsabilidade social. Dar visibilidade aos cadeirantes para que eles possam ter garantido espaços de atuação, é responsabilidade de todos nós, mas infelizmente poucos abraçam esta causa. O calendário ficou lindo, ótimo para presentear amigos e familiares. O valor do calendário é R$5,00 + valor do envio. ps: vendemos qualquer quantidade por pessoa. Obrigada pela atenção." - Caroline Braz

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

O PERFUME - SUGESTÃO DE LIVRO

        
         Quando terminei de ler "O Perfume" pensei com os meus botões: "este livro dá um filmão". Alguns anos depois  "O Perfume" virou filme. Geralmente, filmes baseados em livros não conseguem transmitir o alcance do livro, até porque, são artes diferentes. Neste caso, o filme não deixou nada a desejar em relação ao livro, mas sugiro que leiam a obra primeiro.
         Romance do escritor alemão Patrick Süskind publicado pela primeira vez em 1985. Foram vendidos 15 milhões de exemplares em quarenta línguas. O título original alemão é Das Parfum, die Geschichte eines Mörders (tradução literal em português, O Perfume, História de um Assassino).
         O Perfume foi considerado o livro dos anos 80 na Alemanha.
         O protagonista, Jean-Baptiste Grenouille, nasceu no meio de tripas de peixe atrás de uma banca, onde a mãe, que algumas semanas depois foi executada por infanticídios, vendia peixe. Grenouille possui duas características excepcionais:

- ele não tem cheiro nenhum, o que assusta sua ama e as crianças com quem ele vive no orfanato, mas que permite que ele passe totalmente despercebido. Durante a história, essa ausência de odor, de que ele se dá conta somente bem mais tarde, será compensada pela criação de perfumes mais ou menos atraentes, que Grenouille utiliza de acordo com as circunstâncias a fim de ser notado pelos outros.

- ele tem um olfato extremamente desenvolvido, o que lhe permite reconhecer os odores mais imperceptíveis. Conseguia cheirá–los por mais longe que estivessem e armazenava–os todos em sua memória, também excepcional para relembrar aromas. Esse olfato é sua única fonte de alegria, que ele aproveita para confeccionar, sem a mínima experiência, perfumes de qualidade excepcional.

          Durante a sua vida teve vários acidentes e doenças, trabalhou como aprendiz de curtidor de peles e depois como aprendiz de perfumista e, graças às suas características, enquanto foi aprendiz de perfumista aprendeu várias técnicas para a criação de um perfume.
         Grenouille um dia encontra uma jovem, com um perfume totalmente diferente de todos os outros milhares de perfumes que ele guardava na memória, e acabará por matá-la, com as suas próprias mãos, de tanto desejar apoderar-se do seu odor. Mas, esta jovem é apenas uma das muitas jovens que o protagonista acaba por matar, em busca do perfume perfeito.


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM ENSAIOS SENSUAIS


          A holandesa Esther Vergeer é uma lenda viva do tênis em cadeiras de rodas, com 400 vitórias seguidas e 16 títulos de Grand Slam. E, aos 29 anos, ela também conseguiu se reconhecida por sua beleza.
          Ela está em uma das capas da tradicional edição da revista da ESPN dos Estados Unidos, que traz personalidades do esporte sem roupa.
          “Quando me pediram para posar nua para a revista, eu não tinha certeza de aceitar, mas eles disseram que eu tinha a última palavra sobre a imagem e isso me fez sentir à vontade”, explicou Esther, que usou apenas uma raquete para cobrir seu corpo.
          A revista explicou a ideia e definiu a capa como “educativa”: “Queremos mostrar as diferentes especificidades do corpo e como podemos conseguir isso por causa da grandeza do esporte. Nosso objetivo é entreter, mas também educar. Esther é linda e nós mostramos que a deficiência não é obstáculo para se tornar um grande atleta”, disse o editor Gary Belsky.
          A revista já havia prestigiado a beleza de uma atleta paraolímpica no ano passado, quando a triatleta Sarah Reinertsen apareceu na capa. Ela foi a primeira amputada a completar o Ironman.
Fonte:Uol Esporte.
          No Brasil, o modelo  Fernando Fernandes dá exemplo de superação exibindo sua beleza após acidente automobilístico que sofreu em 2009. Fernando ficou conhecido após participar da segunda edição do 'Big Brother Brasil', e ainda se recupera da lesão que paralisou seus movimentos da cintura para baixo.
          O ensaio foi feito para a edição 32 da revista 'A Capa', voltada para o público gay.  Na entrevista à publicação, Fernandes conta sobre as mudanças radicais que sua vida passou após a fatalidade e afirma que trabalhar como modelo é 'respeito à individualidade e às diferenças'. Sem preconceito, o cadeirante completa que não define 'ninguém pela sexualidade e sim pela personalidade'.
          'A Capa' é distribuída em cerca de 100 estabelecimentos como bares, restaurantes, saunas e clubes nos principais pontos de interesse gay de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte e Florianópolis. Atualmente, Fernando é campeão sulamericano de paracanoagem.
Fonte: Bol Noticias