quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

REINO UNIDO LANÇA SELOS DE GAME OF THRONES



     O inverno está chegando para o serviço de cartas e postagens do Reino Unido. A The Royal Mail (o Correios de lá) anunciou uma nova série de selos do Game of Thrones.

     Isso significa que será possível postar qualquer encomenda, cartas ou até convites de casamento (quem tiver coragem) usando um selo com um dos personagens da série.

     A princípio são 15 selos com personagens das casas Stark, Targaryen, Lannister e Tyrell. Eles incluem Daenerys Targaryen, Jon Snow, Arya Stark, Cersei Lannister, Sansa Stark, Tywin Lannister, Eddard Stark, Olenna Tyrell, Tyrion Lannister e Jaime Lannister.

     Já os colecionáveis incluem o Rei da Noite, os Caminhantes Brancos, Lobisomens, Gigantes, Dragões e o Trono de Ferro.

FONTE: http://geekness.com.br/

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

PORTADOR DE DEFICIÊNCIA OU PESSOA COM DEFICIÊNCIA?



      Para o Professor Romeu Kazumi Sassaki (Sassaki, 2010). Usar ou não usar termos técnicos corretamente não é uma mera questão semântica ou sem importância, se desejamos falar ou escrever construtivamente, numa perspectiva inclusiva, sobre qualquer assunto de cunho humano. E a terminologia correta é especialmente importante quando abordamos assuntos tradicionalmente eivados de preconceitos, estigmas e estereótipos, como é o caso das deficiências que aproximadamente 14,5% da população brasileira possuem.

      Na Convenção Internacional para Proteção e Promoção dos Direitos e Dignidade das Pessoas com Deficiência, ficou decidido que o termo correto a ser utilizado seria “pessoas com deficiência”.

      No total, foram sete os motivos que levaram os movimentos a terem chegado a expressão “pessoas com deficiência”. Entre eles: não esconder ou camuflar a deficiência, mostrar com dignidade a realidade e valorizar as diferenças e necessidades decorrentes da deficiência.

     Outro princípio utilizado para embasar a escolha é defender a igualdade entre as pessoas com deficiência e as demais em termos de direitos e dignidade, o que exige a equiparação de oportunidades atendendo às diferenças individuais.

     Sassaki também chamou atenção para combater neologismos que tentam diluir as diferenças tais como “pessoas especiais” ou “pessoas com eficiências diferentes.  “A razão disto reside no fato de que a cada época são utilizados termos cujo significado seja compatível com os valores vigentes em cada sociedade enquanto esta evoluiu em seu relacionamento com as pessoas que possuem este ou aquele tipo de deficiência” (Sassaki, 2010), explica.

      Para o Professor, a condição de ter uma deficiência faz parte da pessoa e esta pessoa não porta sua deficiência. Ela tem uma deficiência. Tanto o verbo “portar” como o substantivo ou o adjetivo “portadora” não se aplicam a uma condição inata ou adquirida que faz parte da pessoa.

FONTE: https://www.tendenciainclusiva.com.br/

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

FOBIAS - MEDO DE COBRA



   Em segundo lugar estão as cobras, que deixam 21% das pessoas com muito medo e 31% com pouco.

   Para alguns, não há maior terror do que ver um desses répteis se arrastando pelo chão. Conhecida como “Ophidiophobia”, esta fobia é um pouco irracional, porque a maioria das cobras são completamente inofensivas.

   Pesquisas sugerem que os bebês têm um medo inato de cobras quando nascem, o que significa que é um estado da natureza. Apesar do caráter inofensivo das cobras, o medo pode ser um instinto de sobrevivência fixado nos humanos.

FONTE: http://geekness.com.br

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

OS MELHORES DIRETORES DO CINEMA - QUENTIN TARANTINO - PARTE 3



   O filme seguinte de Tarantino foi Jackie Brown (1997), uma adaptação de Rum Punch, um romance de seu mentor Elmore Leonard.   Tarantino decidiu, então, produzir o filme Bastardos Inglórios. No entanto, ele adiou o projeto para escrever e dirigir Kill Bill, lançado em duas partes, Vol. 1 e Vol. 2, um filme estiloso, com temática de vingança, filmado com a influência do Wuxia (filmes chineses de artes marciais), filmes japoneses, filmes de faroeste e filmes de terror italianos.  O filme é baseado numa personagem chamada A Noiva, que Tarantino criou conjuntamente com a atriz principal deste filme, Uma Thurman, durante as filmagens de Pulp Fiction.

      Em 2004 Tarantino voltou a Cannes no papel de presidente do júri. Kill Bill não estava concorrendo, mas foi exibido na noite de encerramento, na sua versão original, com mais de três horas de duração. 

      Em 24 de fevereiro de 2005 foi anunciado que Tarantino dirigiria o episódio final da série CSI. O episódio de duas horas, Grave Danger, foi ao ar em 19 de maio, com audiência recorde e sucesso nas críticas.

      FONTE: WIKIPEDIA

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

NA ALEMANHA, PARTIDO SUGERE SEXO GRATUITO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA




    Apesar de ser totalmente legalizada na Alemanha, a prostituição pode ser muito cara para o bolso de algumas pessoas, em especial aquelas com algum tipo de deficiência.
        A porta-voz do Partido Verde da Alemanha, Elisabeth Scharfenberg, defende que cidadãos com deficiência, que em certos casos possuem dificuldade em manter relações sexuais normalmente ganhem esse direito.
      O benefício seria bancado pela população por meio dos impostos já pagos normalmente.
      Com a proposta do Partido Verde, inspirada em uma medida adotada há alguns anos pelos vizinhos holandeses, a ideia é que os médicos “receitem” assistência sexual para esses indivíduos com capacidade reduzida.
      A Alemanha já conta com alguns locais que oferecem serviços especializados para pessoas com cognição reduzida. O pacote costuma incluir toques afetuosos, fetichismo, servidão e sexo completo com o cliente, tudo pago de forma privada.

Fonte: metrojornal.com.br 

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

REIS E RAINHAS - ELIZABETH I




      Filha de Henrique VIII, Elizabeth I, conhecida como a “Rainha Virgem”, subiu ao trono com 25 anos, em 1558. Foi a quinta e derradeira monarca da casa dos Tudor. Nasceu em 1533 e morreu em 1603 com um quadro caracterizado por uma profunda depressão e melancolia.

      Seu reinado é chamado de Período Isabelino, e foi um período de florescimento do drama Inglês, com William Shakespeare e Christopher Marlowe produzindo seus clássicos por toda essa época.

      As aventuras dos piratas ingleses também progrediram nesse período. Foi no reinado de Elizabeth que Sir Francis Drake realizou suas proezas em alto mar e entrou para a história como um navegador de grandes feitos.

      A maior realização de Elizabeth foi derrotar a Invencível Armada espanhola em 1588. A Armada organizada por Felipe II para invadir a Inglaterra possuía 130 navios bem equipados e as batalhas que resultaram na derrota espanhola entraram para a história como um dos mais memoráveis embates marítimo da história militar naval.

FONTE: https://mapadelondres.org/

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

A MELHOR HORA DO DIA PARA: FAZER COMPRAS




      A regra geral é nunca fazer compras quando se está cansado e/ou com fome – isso todo mundo já sabe. O fato é que às 10 da matina o cérebro já está acordado há três horas, em média. Isso significa que o corpo está com altos níveis de energia, bem alimentado e preparado para tomar decisões certas e não precipitadas.
      (Essas conclusões foram apresentadas pela psicóloga Stephany Biello, da Universidade de Glasgow. Ela explica que, quando estamos com fome, não conseguimos comprar alimentos para a semana toda, por exemplo, e acabamos dando preferência para petiscos que possam saciar a vontade de comer instantaneamente.
FONTE: MEGACURIOSO

domingo, 7 de janeiro de 2018

SARAMANDAIA




   
   Em sua autobiografia, Apenas um Subversivo (Bertrand Brasil, 1988), Dias Gomes declara que Saramandaia foi a novela que mais lhe deu prazer de escrever, embora não esteja entre as mais bem produzidas porque “exigia muitos efeitos especiais, uma tecnologia que a televisão só viria a dominar alguns anos mais tarde".

        O ator Pedro Paulo Rangel, que pela primeira vez interpretou um galã, aprendeu a andar de moto para viver seu personagem, Dirceu. No primeiro dia de gravação, caiu e quebrou a perna. A direção recorreu a um dublê, e Pedro Paulo passou a fazer suas cenas encostado, já que não podia se sentar.

   Dias Gomes incluiu no enredo de Saramandaia personagens criados inicialmente para a novela Roque Santeiro, que havia sido censurada em 1975.

      Tarcísio Meira e Francisco Cuoco fizeram participações especiais na trama, respectivamente como D. Pedro I e Tiradentes.

   A novela marcou a estreia de Antonio Fagundes na TV Globo.

     A Hofer S.A. lançou, na época da novela, a cachaça Saramandaia, consumida pelos personagens.

     Para interpretar o professor Aristóbulo Camargo, que virava lobisomem, Ary Fontoura se inspirou na lenda do boitatá, a partir de um episódio ocorrido com um empregado de sua avó.

      A cidade da novela tem uma cadeia atípica. Confortável, possui quadros nas paredes e vasos com flores. As celas ficam com as portas abertas, mas nunca houve um caso de fuga. Os presos são muito bem tratados e bebem até cerveja.

     Dias Gomes demonstrou cuidado para que a novela não virasse um melodrama. Ele deixa isso claro em nota no capítulo 58, referente a cenas em que Zélia (Yoná Magalhães) tenta convencer Lua (Antonio Fagundes) a autorizar que o filho seja submetido a uma transfusão de sangue. A nota do autor Dias Gomes dizia: “Em toda esta sequência existem cenas que podem facilmente descambar para o melodrama. Peço, por isso, a maior contenção”.

      O autor deixou uma mensagem carinhosa para a equipe ao colocar o ponto final no último capítulo da novela: “Diretores, produtores, técnicos, atores e a todos que participaram desta produção. Quando lerem este capítulo, estarei voando, não com as minhas próprias asas, como Gibão, mas com as asas de um DC-10. Mas deixo aqui a minha sincera gratidão e o meu caloroso aplauso pelo brilho e pelo entusiasmo com que atuaram nesta novela. Até breve. Dias Gomes”.

      Um incêndio no prédio da TV Globo, na rua Von Martius, no Jardim Botânico, quase inviabilizou a exibição da novela. Alguns cenários foram queimados e, por pouco, as fitas com o material gravado não foram consumidas pelo fogo, junto com fitas de outros programas. Com o incidente, Saramandaia passou a ser gravada em um dos estúdios da TV Educativa. Saramandaia passou a ser editada, respectivamente, em São Paulo e Porto Alegre, indo ao ar com imagens geradas em São Paulo. Os programas do Jornalismo também foram editados em São Paulo, e gerados de lá.

FONTE: MEMÓRIA GLOBO

sábado, 6 de janeiro de 2018

O MUNDO EM 1918 - A GRIPE ESPANHOLA



     1918, Primeira Guerra acontecendo na Europa, quando um surto de gripe atingiu o hemisfério norte todo durante a primavera (deles) em março. Muitas pessoas foram infectadas, com os sintomas normais da gripe, febre, calafrios e indisposição. Todos os países tiveram surtos, na Espanha 8 milhões de pessoas ficaram doentes, incluindo o rei Afonso XIII. A maioria dos países não admitia o surto que estava acontecendo, já que isso implicava em soldados fora de combate. A Espanha que até então estava neutra na guerra não escondeu o que se passava, e a gripe que era chamada de gripe dos 3 dias começou a ser chamada de gripe espanhola. Rapidamente, ela sumiu.

     Em agosto, outono no hemisfério norte, a gripe voltou. Atacou em todos os lugares, Ásia, Europa, Américas. Mas dessa vez ela estava diferente. Estranhamente ela atacava os jovens, com um pico de infecção entre 20 e 30 anos, enquanto normalmente a curva de idade é um U, atacando mais crianças e idosos, essa formava mais um W.

     Os sintomas também estavam diferentes, além da febre e dor de cabeça, em alguns dias começava a falta de ar, o rosto começava a ficar roxo, os pés pretos, e em pouco tempo a pessoa morria afogada, com os pulmões cheios de fluidos. Os acampamentos militares, cheios de jovens dividindo quartos, foram atacados em cheio.

      Enquanto uma gripe normal mata menos de 0,1% dos doentes, essa matava até 2,5%. Pode parecer pouco, mas com pelo menos 25% da população americana doente, o estrago foi enorme, mais de meio milhão de mortos. Essa é a diferença principal. Enquanto o Ebola mata até 90% das pessoas, infecta poucos, já essa gripe infectou tantos que deve ter matado entre 20 e 100 milhões de pessoas – a 1ª Guerra matou cerca de 9,2 milhões em combate, 15 milhões no total, a 2ª, 16 milhões. Algumas tribos esquimós sumiram do mapa.

       Faltavam caixões para enterrar as pessoas, e em muitos lugares os velórios eram limitados a minutos, tamanha a procura.

      Até hoje não se sabe como a doença se espalhou tão rápido, em questão de dois meses o mundo inteiro foi atingido, e em muitos casos cidades distantes tinham surto ao mesmo tempo, enquanto as cidades vizinhas podiam levar semanas para serem atingidas.

   Nos EUA e no Japão, foram selecionados presos para testarem como a doença era contraída. Não se sabia que era um vírus que causava a doença. Eles pegavam presos que não tiveram contato com a gripe e após os testes, os presos teriam cumprido a dívida com a sociedade – comitê de ética também não era tão presente na época.

     Borrifavam muco de pessoas doentes no nariz e nos olhos dos presos, injetavam sangue embaixo da pele e pediam para os doentes tossirem e espirrarem  no rosto. Nenhum dos presos americanos contraiu a doença. No Japão conseguiram ver que fluidos filtrados eram capazes de infectar as pessoas, forte indicação de que o agente infeccioso era um vírus (bactérias ficavam retidas pelo filtro), mas não conseguiram repetir os resultados.

FONTE: scienceblogs.com.br